21 de outubro de 2011

2011, um ano tosco (em uma semana, tudo vai explodir)

Pode ser que ainda seja cedo para fazer um balanço a respeito desse interminável ano de 2011, mas eu estou disposto a correr contra os acontecimentos profetizados para 2012. Porra! Esse foi um ano horrível em alguns aspectos. Essa é uma crônica pessoal e cheia de rasuras, podendo haver modificações posteriores, ou não. Pode ser um texto concluso do meu Trabalho de Conclusão de Curso na matéria: 2011, um ano tosco. Qualquer semelhança com fatos, dilemas e besteiras não é mero acaso de coincidência, contate seu advogado e foda com minha vida.

Reservo o direito de não citar nomes ou eu possa simplesmente brincar e dar pseudônimos a seres humanos, lugares... Tudo com direito garantido no Art. 5º, IV e IX, CF. Resumidamente: posso falar o que quiser e ninguém pode se opor a isso! Ou às vezes não podem se opor. Duvidas? Consulte a Constituição Federal de 1988.

A musicalidade

Nada contra Sertanejo, sendo que até escuto de vez em quando, mas esse estilo musical já está dando nos nervos. Está compatível ao Funk: qualquer merda vira letra e gruda e não sai mais. A gente se pega cantando toda hora a mesma ladainha de corno assumido ou o mesmo sermão de beber, cair e não levantar é legal. Mas que porra. Cadê o eclesiástico da musicalidade? Não vou relatar o Funk, pois não merecem uma nota de desprestigio vinda de mim, por eu ser do tipo de pessoa que respeita as diferentes opiniões, mas Sertanejo já deu, ainda mais que não tem mais shows de Rock decentes para se ir, a não ser Rock In Rio e se deparar com um POP supra-moderno invadindo os palcos negros e cheios de rebites. Isso também é fuga. Tudo é fuga. Brasileiros, não tenham medo de declarar que se é sambista, roqueiro ou a puta-que-te-pariu. Somos livres. Chega de Sertanejo um pouco? Digo: nada contra, mas os excessos tem me deixado meio assim: puto-da-vida!

Sobre perdas

Posso dizer que a dor desse ano foi ver partir quem em tanto amava. Era a hora o caralho. Tudo bem que com a idade avançando, vamos mesmo caminhando em direção a um fim, mas em minha humanidade, ninguém que a gente ama poderia morrer. Egoísmo? Que seja. Eu apenas ressalto que a saudade é uma pessoa e que dói e que não agüento muito. Tive outras perdas, ou melhor, não perdi, apenas ganhei. Aham, vão se os anéis e ficam os dedos, no meu caso, vão se os falsos amigos e fica minha imoralidade intangível. Estou bem e por isso não vou mais declarar sobre esse caso, por não ter compatibilidade com o que sou. E já vou dizendo: fariseu é você filha-da-puta-do-caralho! É bem isso: não fiz a merda sozinho, se acha que vou me afundar numa depressão, fique sabendo que não, existem motivos mais relevantes na minha vida do que uma pseudo-amizade como a que me dava aos goles. Quanto a isso, estou feliz-para-caralho por saber que não comungamos mais de nenhum tipo de relacionamento. Vai se foder. Ufá... Desabafo!

Das merdas

Caguei-o-pau-para-caralho e não nego. Errei muito, mas tive alguns acertos. Não vou me crucificar pelas merdas feitas e nem chorar o leite derramado. Para que? Não adianta voltar ao passado apenas para tornar a nossa culpa, sentença de bandido. Vamos à realidade. Hoje faço das merdas desse ano, adubo para as flores futuras. Sei que uma hora acerto novamente, ou erro novamente. Tudo depende do ponto de vista e o meu anda turvo.

Das flores

Tudo que plantamos, colhemos nessa vida mesmo. Claro que outras coisas vão levar gerações para arrumar, mas muita coisa vem nos atormentar brevemente após nossos atos. Claro que colhi espinhos, mas são das flores que me orgulho dizer. Sabe de uma coisa? Estou bem assim: um dia bem, outro nem tanto e assim a gente vai seguindo e cantando. Sou poeta das linhas tortas e não dos contos evangélicos perfeitos.



22/10/2011

Os envolvimentos

Muita gente cruzou meu caminho e muita gente também saiu da minha vida assim, como num passe mágico. Fiz questão de diluir de minhas ilusões qualquer afeto mesquinho, assim como perdi, também ganhei e sei que mais a frente posso perder tudo de novo, mas acredito que só perdemos aquilo que não é nosso e se não foram coisas minhas, melhor deixar partir mesmo. Nos envolvimentos, tenho apenas a agradecer as cocotas e cocotos que fizerem desse tortuoso 2011 um pouco menos impuro. Que se dane que a metade das coisas foi dita no furor dos babados, confusões e gritarias, o que importa é se envolver: seja com bichas, putas ou cachorros. É isso aí, das pessoas que cruzaram, apenas uma ânsia de vômito, das que passaram, adeus, não me enche... Cada coisa posta em seu lugar, assim também os seres humanos em minha vida.

Babados, confusões e gritarias

Sabe quando tu tens aquela sensação de vazio? Bem, esse foi um ano cheio disso. Não sei. Alguma parte de mim não foi relevante. Perdi meu lado puta e quase alcancei a vida monja. Porra! Não é fácil ter que manter-se sempre em equilíbrio e sem fazer besteiras, mas chegar aos 21 anos é a mesma coisa que boicotar a si mesmo. Adulto, tinha mesmo que chegar a essa fase da vida? Adeus sonhos de adolescentes. Tudo bem: estou tentando ser gente grande e isso me frustra e também me dá náuseas. É chato, ainda mais quando você percebe que metade de suas relações humanas é com pessoas mais novas que você, traz desconcerto e isso me impede de ver além. CARALHO. Quero meus dezessete anos de volta. Posso?

23/10/2011

Introvertimento das próprias razões

Talvez essa fosse à bula de toda minha insatisfação e que nenhum psicoterapeuta está autorizado a analisar. Não permito. Tentem para ver o que vai acontecer: causarei náuseas e dores e no fim, cada linha minha vai matando os seres humanos aos poucos. É hoje é domingo e acordei a fim de matar tudo a minha volta. Calma aí senhores detentores de poderes jurisdicionais. É só um jeito de dizer que vão todos tomar no cu. Depois de um sábado fazendo tal EXAME NACIONAL DO ENSINO MÉDIO, acordei com aquela certeza de que o Brasil não é nem um pouco justo. Eles querem avaliar o ensino e distribuir pílulas universalistas para o seu povo, mas não vêem que misturam seres humanos estudantes do ensino privado e seres desumanos da rede pública. Muito legal a vida não é? Acredito que 80% de tudo que teve no primeiro dia da prova eu nunca tenha nem de perto ouvido falar. A culpa? Nesse caso do professor, claro, a culpa é sempre deles por não sabermos um pingo de coisas nessas provas. Se eles acharem que estou abusando do direito de falar, vá reclamar com seus respectivos tutores, mete um processo em cima do ministro da educação e não de um ser humano como eu que só tem que culpar quem leciona. Sei que a culpa não é deles, mas mesmo assim, são eles os mais próximos. Hora de uma revolução e se nada fizerem, as futuras gerações vão pensar do mesmo modo. Aproveito nesse mesmo tópico salientar que hoje também acordei para declarar minha inimizade: Roberto Carlos. Sim, o cantor. Eu estava dormindo e minha mãe coloca o som bem alto, desse modo, já devem estar imaginando que estou salivando ódio, mas não guardo isso em meu nauseado coração, mas sei que nem de perto quero ouvir a voz desse cantor. Rei de onde? Só se for da cereja do bolo de chantili que se eu pudesse, metia na cara dele. E que não me venham falar em cultura. Essa é particular e eu tenho o direito de reservar a minha cultura a coisas ilegais, imorais e que engordam. Se foder o mundo todo. E se acha que isto é um misto de rebeldia e eloqüência, quero que saiba que é mesmo. Não sou mais um adolescente rebelde, mas tenho o direito de ser um adulto rebelde e é assim que me encontro esse ano. Deve ser culpa da Lua ou do Planeta Regente ou da merda de vida que esse ano me proporcionou. Câmbio; desligo...

24/11/2011

Alô-Alô Marcianos

Comentários são bem diferentes de opiniões. Tem gente opinando a cerca do ano que EU VIVI. Meu: cada um sabe o que foi, é ou será bom para si próprio. Um blog carece de comentários e não de analogias. Pessoal está achando que é psicólogo ou eu que estou muito chato nos últimos dias, pronto para atacar qualquer que seja o mortal que cruze o meu caminho e despeje um olhar torto sobre mim. Vamos fazer o seguinte: leia e comente. Não sabe comentar sem fazer uma analise, não escreva nada, é mais bonito e mostra que és um ser humano e entende que nem tudo é sempre bonito e que tudo o que é bom para você, não é para mim e nem para metade da torcida do “Porcas Borboletas” (isso é um ótimo nome para algum time intermunicipal, mas não é... Se trata de uma banda muito lindinha que eu curto para CARALHO.


Outra coisa: que se foda que se casaram, fez 18 anos, passaram no vestibular... O raio a quatro. Não me interessa comparar sua vida com a minha. Deixem de ser mesquinhos. Desde o começo desse puta post eu deixei bem claro que se tratava de MINHA OPINIÃO. Permito comentários, mas não opiniões acerca de minha vida, meu ano, minhas coisas. Se estou fodido, ninguém tem nada a ver com isso ok? Outra coisa, hoje é segunda-feira e só de pensar que falta um tempo até chegar sexta-feira, me dá uma vontade de me esconder debaixo da cama. Que se dane que a vida anda acontecendo, mas estou com muita preguiça de viver nos últimos dias. Por mim, eu dormiria até o dia 21 de dezembro de 2012, mas como não posso, vamos à luta porque a vida não é bela.

25/11/2011

Dormindo com escorpiões

Planeta Terra. Brasil. São Paulo. Pindamonhangaba. Acorda meu país amado, pois estou acordado a mais de 24 horas. Motivo? Simples: deparei com um escorpião essa noite em minha parede. Fiz escândalo, mataram. Coitado do escorpião, mas nesse terreiro não. Quem manda aqui é nós, seres humanos. Esses bichos precisam aprender a respeitar o habitat do outros. A culpa é dos seres humanos que invadem os esconderijos dos bichinhos, mas eu não tenho nada a ver com isso. Respeito tanto a natureza e eu quero apenas que ela me respeite também. Tudo bem: vai passar essa minha raiva súbita de animaizinhos. Mas me deparar com esse animal em minha parede me levou a uma profunda reflexão: dormindo com escorpiões.

Não precisa ser propriamente desse modo, em sua, minha, nossa cama, mas já perceberam o quanto de escorpiões deleitou sobre nossos lençóis emocionais? As coisas não andam nada fácil saber quem é ou não as coisas confiáveis nesse mundo.

É uma trairagem do caralho que a gente vai perdendo a nossa capacidade de confiar que olha que nem por Deus dá para agüentar. Amigos aferroando amigos, pais matando filhos, filhos torturando velhinhos. Gente... Que porra é essa? Cadê o respeito mútuo? Onde está toda aquela sensibilidade que constrói um ser humano brilhante. Tem mesmo que passar por cima dos outros para ser alguém na vida? Não sei se já subiram em cima de meus palcos para serem alguém, mas agora estou mais acordado que nunca para dizer basta. Basta a tanta hipocrisia sedimentada em amizade. Basta de achar que tenho a melhor família do mundo, quando na verdade não tenho. Mentira, ilusão. Basta de dizer que aquela pessoa é isso, quando na verdade é aquilo. Basta de fingimentos, basta de se rebaixar para que os outros se sintam valorizadas, não é assim que demonstramos humildade porra nenhuma.

Sou um resquício de ser humano e não estou disposto a dormir com escorpiões, cobras, lagartos, ou seja, lá o que for. Quero relações solidificadas em humanidade, respeito e essas coisas que a gente só ouve dizer. Hora de sair da teoria para viver a pratica. Só quero gente de carne e osso do meu lado e em minhas paredes emocionais, somente quadrinhos afetivos decentes e verdadeiros. Chega de expor falsos sentimentos quando esses só estão embelezando erroneamente nossos terrenos psíquicos. Basta a tanta filha-da-putagem. Assim não dá, eu não dou e você que me vem deferindo venenos constantes, também não dá mais que a certeza de uma bossal existência. Basta de culpar você, quando eu deveria culpar a mim mesmo. Basta! Apenas isso: basta. Never sleep with Scorpions!

26/10/2011

Best-Friend-Forever?

Só ouvi falar. Tudo bem que tem pessoas que conheço desde minha tenra infância, mas que ainda não me fazem sentir que é para sempre. Talvez eu esteja me acostumado com as pessoas, situações e não quero mais isso. A cada dia conheço menos as pessoas que “dividem” o copo de cerveja que bebo ou mesmo a bita de cigarro que fumo. Melhores amigos forever? Só em novela infanto-juvenil, na minha vida é frustração e desgosto quase sempre. Tudo engano. Tudo gente estranha que não consigo confiar demais.

Andei principalmente esse ano me envolvendo com gente demais, quando de fato eu precisava de mim mesmo ou de pouquíssimas pessoas. De gente que sabe o que quer da vida. Que se permite viver intensamente. Que não tem medo do dia do amanhã e que faz valer à pena as horas desperdiçadas, as dores de cabeça de uma ressaca no dia seguinte. Esse ano senti falta disso. Ou eu estou de fato muito chato e as pessoas mudaram comigo ou elas que não souberam me olhar quando eu precisava de alguns minutos de suas atenções. Pisei na bola com algumas pessoas, mas outras tantas foderam minha vida. É isso mesmo produção? Aham. Bem vindo a essa terra de dementes, cacoetes e filhos-da-puta. Envolvi-me com pessoas que uma hora fala uma coisa e faz outra depois; com pessoas que mudam da água para o vinho e se transformam em tudo aquilo que dizia ser contrário. Gente estranha que prega e não vive. Talvez eu tenha criado também evangelhos particulares e me cerquei de regras moralistas que nunca cumpri e já alerto: jamais cumprirei. Não sou amoral, mas também não esperem que eu siga regras convencionais. Olhei nos olhos de quem sabe dizer de uma saudade que nunca existiu. De gente que não sabe demonstrar uma porra de sentimento positivo.

Foram gentes do passado e de um presente que não quero levar para o meu futuro. Que ao poucos, tenho que dizer adeus e nunca mais me aproximar e outras tantas que eu tenho mesmo que correr atrás e gritar o valor que elas tem para mim. Assim mesmo: se eu estiver errado, pode me alertar que abaixarei minha cabeça e humildemente pedirei perdão, mas se simplesmente os meus ideais forem opostos e assim achar que de alguma coisa faço mal, simplesmente, se afaste: PAREM DE MENTIR SOBRE UM SENTIMENTO que nunca existiu. De amor que nunca se consolidou. De amizade que nunca foi uma verdade absoluta para ambas a parte. Meninas egocêntricas que se mostram a cada dia mais infantil, sufocando-se em suas utopias e de onde eu não ousarei nunca mais adentrar. Carinhas cheio de frescuras, provincianos e eloqüentes, que de fato era melhor eu nunca ter cruzado o caminho. Eu faço merda o tempo todo, mas você também criar e mexe em uma merda ainda pior, pois mente. Acha que está enganando a que? Amigos? Tem que ser para todas as horas e não apenas para momentos de depressão que eu preciso botar as lágrimas para fora. Claro que é para esses momentos, mas é também para todos os momentos da vida. Independente da situação emocional, física, sexual ou moral. Amizade não cria regra, ela ultrapassa tudo aquilo que sabemos ditar sobre tal.

27/10/2011

Família é PUNK

Estive pensando em quantas festas “de família” me ausentei esse ano e pela contagem, foram todas. Tem aquelas que a gente nem fica sabendo, o que pouco me importa de fato. Não sou do tipo de ser humano muito sociável, principalmente com aqueles de “raízes”.

No centro de minha casa, sou protagonista de mim mesmo. Prefiro passar horas na frente do computador a perder meu tempo fazendo sala diante das visitas de família; não abro mão de nenhum livro, bom ou ruim para simplesmente ostentar o ego ferido daqueles que simplesmente carregam alguma mazela genética igual a minha.

I’m not a Judas. Não sou daqueles que beijam para depois trair, mas na real, mais que a metade da minha família para mim não passa simplesmente de pó e que eu tenho que espanar sempre que necessário.

Resumidamente, “eu não presto, meus amigos não prestam, minha família não presta... ninguém presta”. Guardo algum afeto por bem poucos daqueles que caracterizam a metade da raiz que carrego comigo. Um tio e uma tia, uma mãe e irmã, as vezes algumas primas, mas somente. Não citarei nomes para não magoar as pessoas que ainda acreditam que detém de mim alguma consideração, quando de fato só quero distancia. Apenas. Nada muito numeroso e contado no dedo. Não esperem que eu minta diante do ódio que sinto daqueles que dizem que se preocupam, mas que no fundo estão se FODENDO para a nossa real situação. É fácil falar, mas porra de atitude ninguém quer ter. Nunca fui santo e talvez isso assuste, mas também não careço de pena de ninguém, que enfiem cu adentro qualquer sentimento de “dó” deferido contra mim, não preciso disso. Que se foda a cadeia-alimentar-mode-familia.

Ponto positivo para o ano de 2011 que de jeito bem grotesco, abriu meus olhos para entender que poucos são aqueles que merecem toda nossa atenção e respeito e também me levou a reflexão consistente que não preciso de nada além do que já tenho e das pessoas que me cercam, portanto família: se afaste de mim, tenho uma doença venérea e a culpa é de vocês. Eu mordo e posso matar ou simplesmente ferir o orgulho mega filho-da-puta que vocês têm escondido atrás de um sobrenome. Nem indiferença merece de mim.

(Post único que explodirá em uma semana...)

44 comentários:

Filipe Dias disse...

Também acho que 2011 foi um ano esranho, mas para mim ele não foi lento não, mas muito estranho.

e infelizmente a falta de respeito cresce porporcionalmente a desqualidade das músicas tocadas nos celulares em meios de trasporte

Adalberto Malato disse...

ja to seguindo, segue-me lá manow!!!

Camila Valente disse...

Eu tbm não gostei desse ano, pra mim foi um ano terrível.
Seguindo seu blog, parabéns, gostei muito!

Se puder faz uma visita ao meu e segue se gostar!

Apenas Um Qualquer disse...

num sei nem o que dizer porque ainda falta um tantinho para acabar o ano. mas o fato é que ele tem sido como todos os outro. cheio de altos e baixos ;)

- juu ! disse...

2011 foi um ano estranho, muitas coisas ruins aconteceram. esse ano teve mais momentos ruins do que bons.

Felipe disse...

Ah... novembro ainda e ja iremos falar sobre esse péssimo ano, estamos juntos nessa, apesar de que o ano rendeu muito, mas no final das contas sinto que absorvi pouca coisa de tanta bagagem, mas enfim o sertanejo ja deu, aqui no RJ toda 'danceteria' tem um famoso quintaneja ou quintaneja universitária ou sertanejo ate certa hora e depois funk, eletro, samba, e por ai vai, sim devemos respeitar todos os ritmos e claro que o sertanejo tem seu limite, mas a maioria dos cantores são aqueles tipo miojo de estúdio, Super- Instantâneo, nada mais e daqui algum tempo só os mais pegajosos serão consolidados... valer salvar o talvez sim ou não... Abraço !

Olivia P.' disse...

Gostei mto do seu blog:3
ótimo post =]

Lucas Adonai disse...

ahh, eu curtí 2011 ;D

Adalberto Malato disse...

me segue la mano

diogo disse...

foi muito estranho esse ano mesmo, ainda be mque ja esta acabando

DarKblog disse...

verdade, na minha opinião foi um ano bem mais do que estranho, muitas coisas loucas aconteceram =S

Juliana Cysne disse...

Eu amei esse ano, poxa! Por mim ele não acabava.

João Alexandre disse...

Esse ano teve de tudo!!!! Muito doido!! hehe

Lucas Adonai disse...

O que me alegra é que tá chegando o natal ;D

Blog UaiMeu! disse...

Eita já esta fazendo balanço do ano mas agora q eu me dei conta que está acabando mesmo ... mas eu achei que passou rapido diferente de vc...bom o negocio é desejar que 2012 seja melhor pra ti

Diogo disse...

Amoo retrospectivas! Muito massa.
Pra mim, esse foi um dos piores anos: gastrites, derrotas, vergonhas... mas mtas coisas boas tbm. Tuuudo de bom pra vc e seu blog..

Diogopensamentos.blogspot.com

Sombra disse...

2011... muito bom o texto xD, gostei da ultima imagem

Lucas Adonai disse...

Curtí!

Sandro Mangueirense disse...

Com licença da palavra, e também amparado na Constituição Federal; PUTA QUE PARIU, QUE POST É ESSE???

Espetacular! Nossa, disse tudo e mais um pouco sobre esse ano de merda que está sendo 2011, e salvo eu ganhe na loteria, e tanta gente que eu perdi ressuscite, posso dizer que é um dos piores anos da minha vida. COmo eu não jogo na loteria, e nunca vi morto ressuscitar, então to certo! QUE MERDA DE ANO!

http://estacaoprimeiradosamba.blogspot.com/

Lucas Adonai disse...

Será que só eu curtí 2011 ? =/

Lesstack disse...

Cara, esse post é muito legal, não pode "explodir" em uma semana, muito pelo contrário, deverias fazer mais e mais desse jeito!
E apoio vc nessa de "chega de sertanejo ridiculo", nada contra, mas ta virando realmente a mesma merda que está o funk...

Lalinha Empregada disse...

Haha, há muito tempo uma postagem grande como a sua não despertava a minha atenção de ler até a ultima linha. adoro desabafos sinceros, cheios de palavrões escarrados e sem nenhuma pretenção de ver o copo meio cheio, todo esse positivismo da sociedade me enoja, afundada na própria merda achando que as coisas vão melhorar por si só e não fazem nada pra melhorar.

Cest la vie

Besos Calientes

hrdoblush disse...

mt bomm
rs

http://www.hrdoblush.com/

Dona Ana disse...

Bem, você ainda tem dois meses e alguns dias para mudar tudo isso. :D

Fernanda disse...

Tá bom, Kleberson, desabafou. Em alguns casos, um pouco em voz alta demais para meus ouvidos. Certas coisas só se dizem entre quatro paredes, de preferência você sendo o único Homo sapiens escondido nelas. :-) Agora a sério: todo ano é maravilhoso e terrível. Igualzinhamente. Nós é que decidimos o que há de ser. Com ou sem morte, festa, nascimento, casamento, é a nossa disposição eterna que determina o calendário. Ano, mês, dia acontece de dentro para fora. Tenha acontecido de ruim o que tiver, foi exceção. O ruim não pode ter mais propaganda. 2011 para mim será sempre o ano de meu casamento -- e nada apaga essa decisão festiva. Beijos e feliz 2011 a partir de agora!

Fernanda disse...

Eu quis dizer disposição "interna", mas o ato falho também está valendo, hehehehe... Beijos!

hrdoblush disse...

como ja dissse mt bom..
vc escreve mt bemm
rs

bjs


http://www.hrdoblush.com/

Victor Lourenço disse...

2011: um ano pra ser esquecido...

Bafonique disse...

Texto longo, cansativo e falta de incentivo para continuar.
Pra mim, 2011 foi ideal.
=]

Maíra Cintra disse...

Muito bom o post!

Filipe Dias disse...

Novos conteudos no post, gosteo, hein

Preguiça alheia disse...

Ja tinha lido.. mas nao tinha comentado..rs.. muito bom!!

Thiago Barradas disse...

Você é bem efusivo.. Acho que de uma maneira geral, vivênciamos fastos históricos.. apesar da maioria serem ruins.. Como revoluções, desastres, etc. Mas lembre-se do que te digo: A vido pode não ser justa, mas ainda sim é boa.

Lucas Adonai disse...

eu curtí 2011 ;/

Blog UaiMeu! disse...

Foi um ano mto dificil pra mim, fiquei mto doente e me estressei demais da conta!
Espero que 2012 seja mais leve

Abraços
http://uaimeu10.blogspot.com/

Evellyn :) disse...

é isso ae :)

Andy A. disse...

ótimo post de revival ainda mais sobre várias coisas de sua vida , bem quanto á música concordo plenamente , esse sertanejo chamado universitário é chato demais , mas ainda acho o funk imbatível no quisito M. rsrsrs
http://andyantunes.blogspot.com/

T0PERA disse...

pra mim o ano foi tranquilão sem grande reclamações.... a parte que sertanejo está enchendo o saco concordo tá na hora do sertanejo universitário se formar

Em algum lugar, longe daqui, alguém pensa como eu! disse...

this... e mais nada :)

Marcos P. disse...

Poxa, só posso dizer uma palavra: UAU!

Vou ter que reler seu post pq fiquei com tanta vontade de ler logo o final que li correndo.. Me identifiquei com MUITA coisa aí que você escreveu!!

Parabéns de novo, você escreve muito bem!!! :)

Aline Diedrich disse...

Verdade, 2011 foi um ano bem estranho... E, verdade, nem todo mundo merece o respeito que temos ... Mas enfim, prefiro continuar respeitando todo mundo eheheheheh

Café de Fita disse...

o post é grande de mais, apesar de bem estruturado e bem escrito, cansa um pouco...

2011 foi só a preliinar do que virá! :D

http://cafedefita.blogspot.com/

hrdoblush disse...

2011 foi um ano dificil..
quem dera que ele explodisse
rs


http://www.hrdoblush.com/

Marijleite disse...

2011 tem sido um ano "agitado";e o ano que vem tbm será "agitado",e o outro ano tbm e assim todos os anos que vivermos.O que muda é a forma como vemos (e relatamos as coisas);podemos pensar em tudo;pensar só nas coisas boas;só nas coisas ruins .Mas refletir é sempre bom.