11 de dezembro de 2011

Strike


Alma


Levantei
Não tinha animo
Foi-se minh’alma
Esqueceu de voltar Perdeu-se
Não encontrou seu corpo
Seu leito tornou-se escasso
E sem nexo, fiquei
Morri
E nem alma
Nem nada me restou.


O corpo nu

Vi seu corpo nu
Despido das roupas pretas, azuis e vermelhas
Pintei com meus dedos todos os seus pelos
Desabrochou em sua pele
O desejo oculto de uma louca paixão.

Amor

Sucumbiu
Tornou-se vão
Frio
Rachado
Sem métrica
Nem rimas
Sem nada
Sem o amor
Sem o amado
Sem o amor do meu amado.

Kleberson M.

3 comentários:

Duo Postal disse...

Gostei do Corpo Nu, despido de qualquer pudor, pude enxergar a Alma com mais clareza apesar da melancolia e o Amor com mais decepção apesar do vazio.

http://duo-postal.blogspot.com

Mylla disse...

Gostei das três poesias, mas a última, em especial, me conquistou. É o tipo de coisa com que quase todo mundo se identifica, imagino.

:*

http://hey-london.blogspot.com

Atalaia disse...

Bom texto... Simples, mas expressa bem o que é uma perda...

http://atalaia2011.blogspot.com

Escrevo textos sobre o Evangelho; espero que Gostem...

Abraço!