21 de agosto de 2011

O Espelho, Eu e o Tempo

Turva era a imagem do espelho ao meu despertar. Olhei, meio sem jeito e percebi quem eu era de verdade, sem as máscaras do cotidiano, observei a figura própria que eu tinha, sem aquelas que esperam que eu seja. Estranhei. Como pode ser que a imagem que sou não é nem de perto a qual de fato tenho? Quem permitiu ao óbvio as características que não são nossas? Seria o acaso ou eu simplesmente me recusei a aceitar a verdade? Não sei. Só sei que o que vejo é singular. Sou eu diante da imagem refletida, sem máculas a não sei a sujeira impregnada pelo tempo, que modifica, mesmo que sólida, a imagem que tenho, ou melhor, sou!

Eu, ser humano de minha insensatez devo-me alinhar aos passos da vida, senão ela me engole e sem a oportunidade de retrocesso, sou cuspido de volta pela ânsia daquilo que nem mesmo serve de alimento. Eu, objeto de emoção e dor, que em face do descontentamento de toda a face da terra serve apenas de escárnio. Seja de quem for, sou eu e mesmo assim, alinhando-me as coisas alheias, vou me verificando entre um sistema bruto e sem dó.

E do tempo, vou me esquivando, mesmo ele, sem meu consentimento, vai se alimentando de tudo que sou. De tudo que vou me transformando, cabe a culpa do tempo, esse mesmo imperativo que traz a desordem de minhas entranhas e de tal modo o desconcerto é perene. Seria o Tempo o senhor de toda a minha razão? E quem controlaria a minha suave emoção? O Espelho que deforma a visão de tudo que eu pensava que fosse ser e não é? Não. Afastando de mim as subjeções, ordeno-me o senhorio de minha própria complacência. Eu, senhor de mim. Não afastando o ócio, vou me definhando, entre o tempo e o espelho, para que não mais me perca, mesmo sabendo que a causa já está consumada!

4 comentários:

lollyoliver disse...

Amei seu jeito de usar as palavras..
http://lollyoliver.wordpress.com/

Dona Ana disse...

Parabéns Kleberson, tu escreves muito bem, tanto gostei que vou seguir o seu blog. Bj

Anônimo disse...

caramba, eu me emocionei, muito lindo! Vc tem muita sensibilidade parabens

http://isabelalovely.wordpress.com/

Anônimo disse...

seu texto me tocou
isso é um reflexo do que cada nós somos
todos nós somos moldados a uma imagem que o mundo faz de nós e que de fato, não pertence a nós
todo mundo passa por isso
parabéns, vc escreve mto bem, seguindo seu blog.


[b]quer ganhar um seguidor?
me segue, que eu te sigo!
http://diariodagarotadevariasfaces.blogspot.com/