25 de agosto de 2011

Saudade corrói o peito e dilacera a alma

Das fugas que a vida tem, dói a partida de quem tanto amamos. Como é possível viver com a divisível saudade que só nos faz sangrar o peito? Não, eu não aprendi a aturar a ausência, mesmo ainda não me conformo com as idas que não proporcionam voltas. Meu peito é um sentimento ferido com a dor de um adeus casual. Ter de ver partir quem se ama não é a melhor forma de demonstrar que vivemos.

4 comentários:

Wanessa Carvalho :) disse...

adorei , to seguindo.
segue o meu ?
http://wanessacarvalhoem.blogspot.com

beijoos ♥

Thaís Adelina disse...

Queem inventou a distância não sabe como doi a saudade!

http://des-vaneiios.blogspot.com/

lollyoliver disse...

Amei seu texto, muito bom.
http://lollyoliver.wordpress.com/

Dario Duarte disse...

O sentimento é de luto. Como acreditar que se foi quem vive dentor de nós?