7 de dezembro de 2011

Bobeira dos vinte e poucos anos


É bobeira a crise do 20
É bobeira ser adulto aos 21
É bobeira a intelectualidade aos 22
É bobeira um livro aos 23
É bobeira pular os 24
É bobeira sofrer aos 25
É bobeira tentar uma overdose com 26
É bobeira a morte aos 27
É bobeira uma clinica de reabilitação dentro dos 28
É bobeira anciar pelos 29
É bobeira os 30, 31 ou 32
É bobeira sucumbir-se numa cruz ou morrer de AIDS aos 33
Tudo não passa de bobeiras.


3 comentários:

Dona Gini and Patrícia F. disse...

Bobeiras... Bobeiras e bobeiras...
Nos constituímos delas e ao percebermos foi-se os vinte, os trinta... a vida!
Guimarães Rosa dizia, em Grande Sertão: Veredas: ""Viver é muito perigoso"... E realmente é...
Viver é adentrar em fragmentos de eternidade... E ter ao dispor o Efêmero...
Que sejam banidas as bobeiras... ou ao menos amenizadas...
Que a vida em suma seja degustada com louvor...
Parabéns pelo blog...
Kelen

Ahhhh, ficarei feliz se comentar nosso último texto...
http://insanidadesanitaria.blogspot.com/2011/12/banheiro-claustrofobico.html

Aguardo... rs

JEANN DFL disse...

Se de bobeiras nossas vidas são constituídas, então que sejamos grades bobos alegres!

Maíra Cintra disse...

Um post um tanto diferente. Gostei! Parabéns Kleberson!