13 de janeiro de 2012

Estamos melhorando para a pior

Não sei se melhoramos ou se ainda estamos tapando o sol com a peneira. Há quem diga que a cada dia, estamos nos transformando para a melhor, mas às vezes é difícil acreditar nisso. Digo por mim mesmo, mas também pelos outros, pelo mundo, pelas flores e pelos sentimentos. Tudo parece grande, mas ao mesmo tempo, as coisas esplendidas estão ocas. Meninos se tornaram homens, mas não grandes pessoas. Mulheres que antes eram meninas que deixaram os sonhos de lado e acorda todo dia com a cara borrada, tentando conter uma lágrima contida dentro de sua razão. Será mesmo que estamos melhores ou simplesmente crescemos? Crianças que já não brincam na terra, pois existe alguma coisa que os priva da vida real dentro do quarto. Culpa dos pais? Pode ser, pois esses podem estar cumprindo o que havia prometidos em sua infância: que meus filhos terão tudo que não tive.

O mundo evoluiu, as pessoas cresceram, os espaços diminuíram. Nós, seres humanos nos esquecendo disso em nós, estamos nos enfiando, espremendo, nos rasgando por alguns pingados. Entender que crescer é melhorar? Isso ninguém faz, por isso estamos assim, melhorando para a pior. Já não temos mais tantos sonhos e os poucos que nos restam, a cada dia estão perdendo força. Não ousamos mais como a debutante e nem mesmo defendemos nosso pensamento como o recém ingresso na universidade. Tudo o que somos, é uma cópia daqueles que um dia julgamos serem bitolados, quadrados, arcaicos.

A vida é um ato reflexo de nossas escolhas. São estréias e cenas finais. É o tudo ou o nada. Por isso, a vida é um jogo de permissão: só quem se permite, chega mais a frente, conquista suas glórias e pode bater no peito. Não por orgulho, mas por simplesmente dizer para o que veio e mostrar o que pode fazer. Ficar parado, isso sim é para os fracos.

Precisamos burlar de vez em quando, as regras, senão nos tornamos isso que chamamos de humanos, mas eu simplesmente chamo de indivíduos coletivos a um sistema burocrático e bruto. Lembre-se de acordar e sacudir a poeira e deixar para trás o que passou. Vamos inventar. Ficar parado é estagnar a alma e transcender a nada.

Por que então, estamos diariamente cumprindo os rituais dos outros, sendo os nossos aqueles que carregamos em nossa imaginação, sendo a válvula de escape de nossa sanidade? Seres: vamos além! Fácil falar e colocar no papel; difícil agir, mas não impossível. Quanta gente brilha ao longe, mesmo quando parece que ofuscada a sua luz, permanecendo, indo...

Dó é nota musical. Pena, é de animal. Para nós ser humano resta-nos a decência de viver intensamente a nossa vida. Entendendo que intensidade quer dizer fazer bem as coisas aos quais propusemos nossa força. Entendendo que intensidade nos revela as coisas boas da vida. Não parar no tempo e sim, fazer o melhor possível, mas jamais esquecer, que nem sempre o que se “é melhor” é de fato o bom. Tem coisas que já foram “piores” que mais a frente conseguiremos enxergar como de fato boas. Melhorar para a pior não cola, mas melhorar para melhorar, eis o nosso chamamento a todo instante. Somos barco a vela e se no meio da tempestade achar que já não suportamos mais, permita-se a sentar e balançar junto com o vento. Tem coisas na vida que vem para nos tirar do conformismo e nem só de marasmo experimentará essa nossa tão subversiva alma!

6 comentários:

Bom Forever disse...

concordo plenamente
seguindo

Bom Forever
http://bomforever.blogspot.com

Fernando disse...

Olá Kleberson
penso que quanto mais a gente cresce , mais vamos caindo na real e vendo que a vida não é tão facil assim de ser vivida. O problema é que muitas vezes deixamos de sonhar e de viver. Temos que trabalhar, estudar e ficamos só nisso. Crescemos intelectualmente, mas continuamos sem graça e sem sal. Tenho medo que isso aconteça comigo também... rs
gde abrsss
Fernando
http://fernopinari.blogspot.com/

Rafael Fernandes disse...

Como você é tão poético e nem sabia...


Rafael Fernandes (@rafa__rafa)
www.LeiturasVivas.com

BEPClub disse...

Nossa, muito bom seu texto,
Adorei o visual tambem, bem clean.

Isak de Castro disse...

evolução desigual, o espaço mudou as pessoas as mesmas, isso é verdade, gostei do blog e de seu estilo de escrita.

abraço
http://isakdecastro.blogspot.com/

Marcel L. disse...

Concordo com a maioria das suas palavras.