8 de abril de 2012

Desapego

A vida vai e devagar.
Mas a todo momento
penso que posso acabar.

Porque o bem da vida seria ter
mesmo no sofrimento
gosto de prazer.

Já nem tenho vontade de falar
senão com árvores, vento,
estrelas, e águas do mar.

E isso pela certeza de saber
que nem ouvem meu lamento
nem me podem responder.


Cecília Meireles

Um comentário:

Célia Rangel disse...

Que realidade gostosa! Sabor de sabedoria! Amei ler Cecília Meireles e pactuar com ela!
Felizes aleluias pascais para você!
Abraço, Célia.