3 de maio de 2012

Um dia

Um dia quem sabe tu olha a sua volta e começa a valorizar aqueles que mereciam ser valorizados; aprende que enquanto viveu no mundo das aparência, tu só foi enganado e que o que 'feio lhe parecia' era o tudo e todo que precisava para progredir nessa sua existência. Perceberá que de nada adiantou suas convicções, se tanto não aprendeu com a vida vivida na vida real. Perceberá que perdeu seu tempo; não aprendeu e quem sabe, terá que recomeçar, e talvez, de uma maneira mais drástica, pois se não aprende no amor, a senhora dona dor se tornará senhora de teus passos. Não nascemos para sofrer e sim para aprender, mas enquanto não sentimos os calos, não somos capazes de deixar o julgamento de lado. Precisamos deixar as lentes que só olham o que é perfeito, pois meu caro, nada é perfeito para sempre... O verdadeiro amor, não está na beleza de quem se ama; a amizade fiel não está no ouro e na prata que ele carrega; a fé não se encontro com aqueles que não sabem respeitar a opinião dos outros. Nem tudo que você acredita é de verdade, pois ainda não aprendeu a conhecer as pessoas pelo lado de dentro e as coisas, com olhar subjetivo de que se nos é dado, é para aprendermos e não jogados ao léu. Somos burros, quem sabe um dia a gente aprende! Só que não seja tarde demais, pois se bem percebemos, não nos resta muito tempo...

Um comentário:

Célia Rangel disse...

Aprendizado na universidade da vida deve ser diário e, com muita persistência.
Abraço, Célia.