29 de novembro de 2011

As cinzas de um cinzeiro cheio

O vento que veio do Sul soprou para dentro de minha janela, o ar de que o dia ia ser quente. Com a brisa, vieram também as cinzas depositadas em meio cinzeiro. Desse modo, recordei-me os dias cinza, tempestuosos que estava vivendo. Era entre os choros e rangeres de dentes que encontravam a minha humanidade. Eu tinha falecido e ninguém imaginava que a morte era apenas um meio pelo qual eu estava me enfiando dentro de minha introversão. Nada podia me salvar. Nem eu mesmo queria ser salvo do universo paralelo que eu tinha criado, entre meus devaneios e minhas nostalgias.

Pouco me importava se estava negando o presente. Acontecia que os dias estavão agrestes e eu não tinha mais sangue vivo correndo dentro de mim. Minhas lacunas eram preenchidas por seqüências de cigarros, doses extras de Vodca e quase todo instante, as drogas era o refugio que minha vã existência, encontrava para sucumbir aos fatos.

Cheio eu estava, como o cinzeiro que já não encontrava sequer espaço para deposito de uma nova bituca. O transbordamento das cinzas me recordava os exageros de minha excentricidade. Um monstro dentro de mim exala para fora, secreções visíveis. Minha aura estava sem brilho e os anjos se afastaram devido à nebulosidade que me cercava. Ninguém me via além dos escombros. Eu não me encontrava diante do espelho embaçado pela evaporação de meus poros. Se ontem eu era um ser humano, agora me sentia espírito vagante e perdido.

Eram o poço sórdido de minhas incoerências que pintavam as resmas, as faixas e coloriam de um negro azulado aquilo que era imaculado. Nunca mais drink no dance. Ressoava aos berros mudos dentro da carne podrificada um vazio inexistente. Orações, palavras repetidas, mantras de meus demônios. Não havia mais tempo para purificação. Tudo foi profanado, tudo ultrajado e arrancado de mim, foram às bênçãos proferidas em meu batismo. Restaram as cartas destinadas ao vale das sombras da morte. Redigi entre os dedos queimados, poesias, solavancos de uma peripécia alma. Escória, sem pai no céu ou diabo na terra, era eu uma alma esquecida, jogada ao léu e sarcasticamente defunto vivo, lançado ao véu do sepulcro existencial.

Inferno azul, os céus tornaram-se rosa e o espaço que meu corpo físico ocupava, era o negro, pincelado por cores fluídicas verdes. A luz que seguia a frente, não era alcançada por minhas mãos. Esmoreci, tombei e comecei morrendo, mas nunca chegando de fato ao sepulcro onde a carne é depositada. Eu não era espírito, nem carne. Não era humano, nem Deus. Enfermo de minha própria pele, estou a espera da vaga remanescente, da cota que me serve de predestinação a seja lá que lugar for e enquanto minha epiderme não é servida aos abutres, sirvo-me de alimento para mim mesmo, visando a regra contagiosa de um ser humano comungado a uma dose de vodca barata!

10 comentários:

Zilda Mara Peixoto disse...

Olá,Klebersonm.Essa é minha primeira visita ao blog.Vi seu link em outro blog e resolvi vir conhecê-lo.Adorei seu blog e já estou lhe seguindo.Seu blog é muito bem organizado e suas postagens muito bem elaboradas.Seus textos são magníficos,me emocionei demais ao ler muitos deles.Fiquei até meio perdida..rsss.Gostaria muitíssimo de falar com você através de e mail.Isso é possível?
Te convido a conhecer meu blog e segui-lo também.Aguardo sua visitinha!
Bjs!
Zilda Mara
http://www.cacholaliteraria.blogspot.com

Edson Lima' disse...

Gostei do Blog.
Estou seguindo segue tbm

http://contagio-literario.blogspot.com/

Nunca Sei disse...

Oieee td bom?
Não achei seu banner no blog (devo estar cega rs) me passa por email: nuncasei@yahoo.com.br

Lembrando, vc é o nº1 do sorteio ja ja posto a foto do bonequinho, e vai tbem um brinde surpresa ;)
Boa sorte!!!

Erlander disse...

muito maneiro seu blog

reinaldo del trejo disse...

Gostei do texto, só que é um pouco deprimente, acho que deveria escrever um pouco menos pesado, em minha opinião, o texto ficaria mais leve...

visita meu blog :



http://reinaldodeltrejo.blogspot.com/

Dr. Style disse...

gostei muito do seu blog
parabéns pelo texto
escreves muito bem
estou te seguindo
não esqueça de dar uma passadinha no meu!
thedrstyle.blogspot.com

bjos

Lineker Pablo da Silva disse...

Parabéns pelo blog. Show.

Abraço,
Suor do Esporte.
http://suordoesporte.blogspot.com

Thiago Almeida disse...

Olá!
Palavras muito bem colocadas.
Gostei mt do texto, parabéns!

Te espero no meu tb!

Abçs

www.automatoalgum.com

Manolo disse...

Muito interessante! Belo blog!

Abrss
Acesse tbm http://thegeekrulez.blogspot.com/

Vlww ;D

Jaque Santana disse...

oi , amore , ameei seu blog super lindo , sempre vou está aqui olhando as novidades , estou seguindo você .
me segue de volta. ?
um beijo .;*http://oolhardamoda.blogspot.com/